[ CHARLIE, THE BEAGLE ] Update

11.4.17



Para quem me segue no instagram (@crislaborim) sabe o quão derretida ando por este ser mais que lindo. Dia 4 de Abril fez cinco mesinhos… o tempo passa mesmo a correr. Já parece um miúdo reguila que só faz asneiritas e está sempre a desafiar tudo e todos. 
Mas não é só asneiras que o Charlie faz (até porque tirando as tentativas de me trincar nas mãos por causa das dores de dentes e uma série de meias roubadas e que ficaram com um buraco, não tivemos nada estragado até ao momento), continua doce e beijoqueiro como quando veio cá para casa. É o ser mais sociável que eu conheço. Não há uma pessoa na rua que ele não cumprimente e no nosso bairro já toda a gente o conhece. Até já o chamam o cão mais bonito da zona.





Com tantas advertências antes da escolha do cão sobre a raça Beagle, acho que nunca estudei tanto para ter a certeza de que estaria preparada para o que aí vinha. 
Uma das sugestões que li, foram os dois passeios diários com a duração entre meia hora a uma hora. Às vezes de manhã torna-se difícil conseguir passear uma hora, então acabamos sempre por prolongar o passeio da noite. Para ele (que ao início odiava ir à rua), é um alívio esse descarregar de energia. Para mim passou a ser uma rotina nova que estou a adorar pois faz com que não fique no sofá agarrada a telemóveis, iPads e Netflix tanto tempo quanto ficava. E a adiccionar a isso ainda faço exercício.




Outra das fases que chegaram com os cinco meses, foi os dentes começarem a cair. As dores que ele tinha eram mais que muitas e por muitos brinquedos que lhe arranjasse a única forma que arranjei para lhe aliviar um pouquinho, foi com as rosquinhas de borracha com piquinhos. Colocava-as no congelador para ficarem bem frescas e, tal como aos bebés, o frio aliviava a dor.

Outra sugestão que li foi colocar os Pad's para o xixi nas várias divisões da casa. Isto é uma das fases mais chatas que, por muitos passeios que dêem, acabam por não querer fazer na rua pois estão muito distraídos com tanto cheiro novo para explorar (ou não seriam cães de caça). Acabando por fazer o xixi e o cocó em casa. E esta foi a forma de conseguir ter a casa mais higiénica desde que tenho o bicho. Assim que foram colocados os Pad's em cada divisão, ele acaba por fazer sempre lá e já não procura os tapetes das salas. 

Outro dos grandes passos foi o conhecer o Bold, o meu labrador que vive em casa dos meus pais. Mas como este post já está longo, deixo para outra altura, pois também tenho umas dicas interessantes para quem quer apresentar os bichos de quatro patas a outros que não estão habituados.


You Might Also Like

0 comentários

CONTACT

Name

Email *

Message *

INSTAGRAM